3 características de um portal da transparência organizado

A importância de um portal da transparência organizado

Quando falamos sobre portal da transparência, sempre existe uma dúvida sobre a melhor forma de estruturar e organizar as informações dentro dele. Isso ocorre porque as leis não são claras sobre a estrutura ideal do portal.

Com isso, é comum acessarmos portais que mais parecem uma salada de informações do que um portal que deve ser claro e objetivo, para que tanto a população mais leiga quanto os órgãos fiscalizadores, consigam encontrar informações de maneira prática e rápida.

Veja abaixo as 3 principais características de um portal da transparência organizado e bem estruturado.

1) Conteúdo centralizado em uma única página

Ainda hoje vemos vários site e portais de prefeituras e câmaras municipais com as informações exigidas pelas leis de transparência pública espalhadas por todo o site.

Quanto mais centralizada a informação estiver disponível, mais fácil para ser encontrada…

Vejamos um exemplo:

A publicação do Plano Municipal de Saúde e do Relatório de Gestão da Saúde são exigidas pelo Programa Nacional de Transparência Pública, certo?

Então porque que no seu site, você deixa o Plano Municipal de Saúde no meio de todas as outras leis? Porque o Relatório de Gestão da Saúde está publicado somente no site da Secretaria Municipal de Saúde?

O ideal é que essas informações, além de publicadas nas páginas internas, também estejam disponíveis na página do Portal da Transparência.


Concorda que faz sentindo publicar no portal da transparência as informações que são exigidas pelas leis de transparência?

2) Páginas organizadas por ordem alfabética

Existe forma de organizar informações que seja mais intuitiva do que por ordem alfabética? Acho bem difícil…

Entenda que o cidadão não tem conhecimento sobre termos técnicos e estrutura de informações que fazem parte da gestão pública. Ele não entende a diferença entre receitas orçamentárias e extra-orçamentárias. Assim como não entende siglas como PPA, LDO, LOA, RREO, RGF… 

Evite nomear páginas somente com siglas, utilize sempre o nome completo de cada tipo de informação no título da página e também nos menus do site/portal.

3) Mínimo de cliques para chegar a informação

Por que criar várias e várias subseções de páginas dentro do portal da transparência?

O que para você pode parecer que fica mais organizado, para o cidadão e para os órgãos fiscalizadores acaba dificultando a localização das páginas.

Não há necessidade de se fazer um logo caminho para chegar a uma informação…

  • Exemplo errado: Home do site > Portal da Transparência > Despesas > Despesas com pessoal > Despesas com diárias.
  • Exemplo correto: Home do site > Portal da Transparência > Despesas com diárias.

Pense sempre em manter o mínimo de clique possíveis para chegar na informação final.

Faça uma reflexão: O seu portal da transparência é organizado?

Agora que você conhece as 3 principais características de um portal da transparência organizado, faça uma análise para verificar se o seu portal da transparência tem essas características.

Caso não tenha, solicite os ajustes ao seu TI ou empresa que criou para você… A população e os órgãos fiscalizadores agradecem 🙂

As imagens que usei de exemplo neste post são da Central de Transparência CR2, uma página que fornecemos gratuitamente para todos os clientes da nossa Assessoria Especializada em Transparência Pública.

Seu portal da transparência está 100% atualizado?

Com a nossa Assessoria em Transparência Pública, nós apoiamos o Controle Interno e a administração como um todo, na missão de manter o seu Portal da Transparência 100% de acordo com as leis.

Receba Diagnóstico Grátis do seu Portal da Transparência