Como tornar a gestão pública eficiente

O princípio da gestão pública eficiente significa que toda ação administrativa tem que ter um ótimo atendimento, ser rápida, transparente e sem burocracia, sempre visando à qualidade na gestão administrativa.

Administrar uma organização, seja pública ou privada, exige a implantação de determinados conceitos. Em se tratando de gestão pública, alguns princípios são mais específicos.

Não basta, entretanto, tirar alguns princípios do papel. Para que eles realmente surtam os efeitos práticos esperados, é preciso que haja um engajamento de todos os funcionários envolvidos.

Mas quais seriam os preceitos básicos de uma gestão eficaz? É isso o que será abordado a seguir. Acompanhe!

Indicadores de desempenho são fundamentais para uma gestão pública eficiente

Os gestores públicos precisam saber exatamente como andam os resultados apresentados pelos departamento que eles gerenciam. Como fazer isso de um modo efetivo? Por meio da adoção de indicadores de desempenho.

Esses índices apontam claramente o que vai bem e o que vai mal. É possível até detectar as possíveis origens de verdadeiras lacunas existentes entre os setores. Esses gargalos administrativos são, por sinal, um dos grandes problemas das instituições públicas.

Ao observar esses indicadores com atenção, o gestor também comparar os desempenhos dos setores separadamente. Desse modo, fica mais fácil descobrir quais sãos os departamentos mais dedicados.

Evidentemente, os números também exibirão os setores mais lentos ou que costumam entregar resultados ruins. A partir daí, é possível lançar um olhar mais atento às causas desse desempenho pífio.

Os indicadores também ajudam a destacar os pontos fracos e fortes de cada setor, facilitando a tomada de decisão para tornar a gestão pública eficiente. Logo, os funcionários podem ser informados sobre quais práticas precisam ser aprimoradas.

Com isso, o gestor disponibiliza um direcionamento específico a ser seguido pelos funcionários. Ninguém consegue melhorar significativamente o próprio desempenho sem esse tipo de orientação.

É importante ressaltar que esses indicadores precisam auxiliar no diagnóstico dos problemas da máquina pública. Eles são essenciais para avaliar se os objetivos pretendidos serão ou não atingidos no prazo determinado pelo planejamento.

Essa estimativa permite que o gestor efetue as devidas correções de rota, quando forem necessárias. Para isso, os índices precisam ser muito claros para todas as pessoas que trabalham no projeto. Essa clareza é primordial para que o monitoramento dos indicadores seja contínuo e preciso.

Simplificar processos e tornar os resultados mais transparentes

Como se sabe, uma instituição pública possui dois grandes problemas básicos:

  • Excesso de burocracia;
  • Corrupção.

As soluções para enfrentar esses obstáculos se complementam. No caso da burocracia, é necessário manter certo rigor quanto à exatidão. Isso não significa, contudo, que os processos precisam ser engessados.

Quando a burocracia é excessiva, ela abre margem para que os processos sejam confusos. O fator burocrático é necessário para impor regras e normas. No entanto, o conjunto precisa ser harmônico.

Na prática, os processos de uma instituição pública são exagerados. Então, é necessário excluir os excessos e, simultaneamente, aperfeiçoar a fiscalização.

Os órgãos públicos precisam seguir as Leis de Transparência Pública. Essa legislação prevê que essas instituições divulguem dados relativos a despesas, receitas, convênios, licitações, obras, patrimônio, entre outros.

Essa não é uma tarefa simples, uma vez que existem muitos itens a serem publicados e atualizados. Para que nenhum elemento dos contratos seja infringido, os órgãos públicos devem contar com uma assessoria completa.

Uma assessoria eficaz é, portanto, imprescindível para que a gestão pública tenha uma administração realmente transparente. Sem isso, ela não conseguirá manter um gerenciamento efetivo, coeso e coerente.

Como resolver o seu problema com transparência pública

Hoje, o principal motivo de multas e processos de improbidade, não está relacionado a corrupção e sim a falta de conhecimento técnico.

Para cumprir as exigências das leis de transparência, é necessário principalmente que a Prefeitura, Câmara e RPPS tenham um site publicado na internet. Mas não adianta ter um site qualquer, é necessário que o site seja desenvolvido de acordo com os itens exigidos pelas leis.

Além disso, é necessário realizar publicações constantes com as informações exigidas pelas leis, como: Receitas, despesas, licitações, folhas de pagamento, convênios, ações, programas, patrimônio, projetos, obras, leis, decretos, etc… São quase 200 itens exigidos pela legislação atual!

Aqui na CR2 nós cuidamos de tudo para manter a sua Gestão 100% Transparente!

Elaboramos uma solução personalizada de acordo com a sua necessidade atual.

Atuando desde 2011, hoje atendemos a 210 clientes simultaneamente e temos uma equipe de 18 especialistas em transparência pública, prontos para fazer a sua gestão ser reconhecida como 100% transparente.

Quer conhecer melhor a nossa metodologia? Solicite agora a sua proposta sem compromisso!

Um dos nossos consultores especialistas vai entrar em contato para entender a sua necessidade atual e apresentar uma solução personalizada para a sua entidade pública.

Gostou? Compartilhe esse conteúdo!